“A oposição não pode cometer os mesmos erros do passado”, diz Miguel Coelho sobre eleições de 2022;


Por Roberto Gonçalves e Cidinha Medrado


O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), falou na manhã desta segunda-feira (22), em uma entrevista exclusiva para o Programa Araripina Urgente, da Arari FM e Sistema Beto Som, sobre as expectativas que tem para a as próximas eleições. Sem nenhuma dúvida pelo ótimo trabalho que vem desenvolvendo em Petrolina, o nome do jovem gestor é colocado como um dos favoritos. Durante a conversa com o jornalista Roberto Gonçalves, Miguel alertou para que a oposição não cometa os mesmos erros ocorridos na eleição passada no Recife.


“A falta de união da oposição na eleição de novembro passado na capital pernambucana é o melhor exemplo pra que a gente não cometa os mesmos erros em 2022. Defenderam muito CPF e poucos projetos para o Recife e todos sabem o resultado que deu. A vitória de João Campos do PSB foi por uma diferença de voto muito insignificativa comparada ao pleito de 2016, não estou tirando os méritos da vitória do PSB, mas acho que a oposição precisa aprender com os nossos próprios erros, a gente não pode repetir a mesma fórmula que não vem dando certo nos últimos anos. Acho que com essa maturidade, humildade, respeito, procurando as convergências entre nós mesmos do campo de oposição, a gente possa ter capacidade e energia de atrair novos quadros. Você sabe muito bem que tem muita gente aliada hoje ao PSB que está insatisfeita e está aguardando um projeto de futuro, está aguardando que a oposição possa se organizar e mostrar como a cidades possam voltar a crescer”, frisou.


Ainda em relação às eleições do próximo ano, e analisando a insatisfação popular que é visível, Miguel acredita que os pernambucanos vão mudar em 2022.


“Fazendo uma análise sobre dos resultados das eleições de 2018, onde nas principais cidades a oposição teve mais de 80% dos votos, isso mostra que a população pernambucana está insatisfeita e mostra a ânsia por mudanças. O povo tá cansado do PSB e o estado precisa que políticos discutam o seu desenvolvimento. O povo tá cansado da saúde que não é humanizada, das estradas que estão um caos em todo o estado, da falta d´água, do desemprego e de tantas outras. Quem está no pólo gesseiro sabe que o estado que mais cobra impostos é Pernambuco, e não dá retorno no investimento. Isso é um problema que a gente precisa enfrentar, discutir e apresentar a partir do ano que vem um projeto que possa retomar desenvolvimento”, disse.


Miguel reconheceu que Pernambuco tem nomes fortes politicamente na oposição, e que se sente lisonjeado em ser reconhecido como um desses.


Entre os nomes de destaque, na opinião do prefeito de Petrolina, estão o de Raquel Lyra, (prefeita de Caruaru (PSDB), o do prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PL), Raimundo Pimentel de Araripina (PSL), e o professor Lupércio (Solidariedade), prefeito de Olinda. Precisamos exercer a humildade e o diálogo, e com a mudança de governo no próximo ano, a gente vai poder devolver a esperança de dias melhores, eu defendo e digo isso em todas as minhas entrevistas”, argumentou.


Na mesma entrevista, o prefeito de Petrolina abordou outros temas como a problemática dos péssimos serviços oferecidos pela Compesa em todo estado, a inauguração de mais uma fase do Ramal do Agreste no último final de semana pelo Presidente Bolsonaro em Sertânia, e os investimentos que chegaram a Araripina após a parceria do prefeito Raimundo Pimentel com o senador FBC e o deputado federal Fernando Filho.

2 visualizações0 comentário