ADAGRO prorroga mais uma vez a vacinação contra febre aftosa 2021, o novo prazo é 31 de julho

Ouricuri e Santa Cruz estão com os piores índices de imunização__

A Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária do Estado de Pernambuco (Adagro), através da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), aumentou o prazo para a aquisição e aplicação da vacina contra a febre aftosa mais uma vez. A informação foi repassada por Fernando Gomes de Miranda, diretor de defesa e fiscalização agropecuária da Adagro, a campanha foi prorrogada porque faltou imunizante, o que atrasou a campanha.


“Realmente houve um desabastecimento da vacina, em todo o Nordeste, isso realmente fez atrasar um pouco nossa expectativa de vacinação”, disse ela.


Atualmente estamos com 76,36% do número de animais vacinados em todo o estado, de maneira geral. Na região do Araripe o índice de cobertura vacinal está abaixo do esperado segundo Fernando, apenas 62.53%. Bodocó é a cidade do Araripe com melhor índice até o momento, os dois piores índices estão em Ouricuri e Santa Cruz, um patamar de 50,20%. Já o sertão central está num nível melhor, em toda a região, um nível de 68 a 69%, resultado positivo, apesar da falta de vacinas.


O novo prazo é 31 de julho, objetivando melhorar os índices, pois a meta é chegar ao mínimo de 90%. A Adagro atingiu a meta em todas as campanhas segundo Fernando, suficiente para manter o estado de Pernambuco em condição de retirada de vacina. Em algumas localidades como Araripina, não faltou a vacina nos estabelecimentos credenciados, por isso, ficou comprovado que um dos principais problemas locais foi a falta de interesse do produtor em adquirir a vacina para imunizar o rebanho. De acordo com Fernando Miranda, Araripina apresenta uma boa situação, está com mais de 66% do rebanho vacinado, um índice de cobertura favorável, no entanto 955 produtores estão inadimplentes.


“Alguns municípios não teve desabastecimento de vacina, mas boa parte do estado houve sim e a gente solicitou prorrogação por duas vezes ao Ministério da Agricultura, uma por causa da Pandemia e outra por causa devido à falta de vacina, e mais uma vez a gente conclama aos produtores da região que procurem as farmácias veterinárias, para adquirir a vacina e não só isso, mas fazer a declaração, porque se você compra a vacina e não faz a declaração para o estado vai estar inadimplente. O produtor vacinando e declarando evitará sanções que vão de multas a trânsito de animais”, explicou Miranda.


O objetivo do Brasil é retirar a vacina, mas com isso, o país terá que oferecer garantias de que coma retirada da vacina a doença não retorne, comentou Fernando.


Cidinha Medrado/Blog do Roberto Gonçalves

19 visualizações0 comentário