“Aguardo explicação plausível do governo”, diz Pimentel sobre quantidade de vacinas para Araripina

Por Cidinha Medrado para o blog do Roberto

O governador de Pernambuco Paulo Câmara realizou uma reunião por vídeo com prefeitos do Sertão para discutir as novas regras do decreto estadual que entra vigor nesta quinta-feira (18). O prefeito de Araripina Raimundo Pimentel que participou ativamente da reunião, disse hoje pela manhã na Rádio Arari FM, que está ajustando o município de acordo com o novo decreto, como a antecipação da feira-livre para sexta-feira (19), e a redução de mobilização das pessoas. Pimentel afirmou ser a favor das medidas tomadas pelo governador, mas acredita que ainda é insuficiente, pois precisaria de mais tempo de quarentena para cobrir ao menos o ciclo da doença que é de quatorze dias. O gestor disse ainda acreditar que a vacinação é a solução, já que a Fiocruz está dando andamento à fabricação de vacinas no Brasil. “A vacina é de fato o que vai permitir em um espaço curto de tempo, se Deus quiser, a normalidade”, disse ele. Pimentel disse que chegou a questionar o governador sobre o assunto e foi objeto de uma polêmica. Ele disse que foi mal interpretado ao pedir uma explicação sobre a pequena quantidade de vacinas enviadas para o município. Contou que Araripina, ainda não terminou a faixa de 80 anos e apesar de ter iniciado a faixa de 75 anos, existem pessoas de 80 anos na cidade, que não tiveram ainda acesso à vacina. “Recife já anunciou a vacinação de 70 anos, então alguma coisa precisa ser explicada. Não é justo com a gente, não só em Araripina, mas praticamente todos os municípios do Sertão ainda não chegaram à faixa de 75 anos. Precisa o governo do estado uniformizar isso, a gente não pode aceitar de jeito nenhum que pernambucano da capital seja tratado diferente de pernambucano do Sertão”, comparou o prefeito. O Araripe é a região com menor número de vacinados, segundo ele, que pediu esclarecimentos sobre as compras, mas relacionado às quantidades, descartou que haja perseguição política. “Não acredito que numa situação como essa possa existir perseguição, mas aguardo uma explicação plausível para repassar para a população”, falou o prefeito. Coincidência ou não, após esse questionamento, Araripina recebeu nesta quarta-feira (17), o maior lote de vacinas desde o início da imunização. Foram 1.510 doses da Coronavac. Sobre o consórcio dos municípios para compra de vacinas, Pimentel disse que assinou, mas não deu destaque, porque não acredita que tenham autonomia para garantir os imunizantes. “Eu não me manifestei, porque o prefeito de Salgueiro já deu a resposta. Lamentavelmente os prefeitos fizeram o consórcio, nós até aderimos, mas não divulguei, porque vi que não tinha sentido, era só para publicar. Existe o Programa Nacional de Imunização – PNI, que é uma lei que já existe, e que define o papel de cada ente federativo, municípios, estados e união. A aquisição da vacina está definida, é feita pelo Governo Federal, e mesmo que os municípios e estados façam a compra, a vacina terá que ser colocada à disposição do PNI”, explicou. Ouça a entrevista na íntegra:

0 visualização0 comentário