Candida auris: caso de superfungo que resiste a medicamentos em PE foi revelado em exame de rotina

ALERTA: fungo mortal está se espalhando pelo mundo

A descoberta da presença do "superfungo" Candida auris em um paciente do Hospital da Restauração (HR), no bairro de Derby, na área central do Recife, foi feita pela microbiologista Camylla Carvalho de Melo. Ela explicou que a identificação foi feita em um exame de rotina. Há outros dois casos suspeitos em investigação laboratorial. Segundo a Anvisa, a confirmação representa o terceiro surto de Candida auris no país. O "superfungo" resistente a medicamentos é responsável por infecções hospitalares. Segundo Camylla o paciente foi colonizado com o microrganismo, ou seja, apesar de portar o microrganismo, não apresentou sintomas.

Um dos dois casos suspeitos é de um homem de 46 anos, também admitido pela emergência de trauma por outra causa no dia 13 de dezembro. Ele estava na UTI nesta quarta-feira (12) e não apresentava nenhum sintoma relacionado à infecção pelo fungo, segundo a microbiologista. A suspeita é de que situação dos outros dois pacientes em investigação seja a mesma. Um é de uma mulher de 70 anos atendida no HR também por outras causas. Admitida no dia 24 de novembro, ela morreu no dia 5 de janeiro. "Eles portavam os microrganismos, mas não apresentavam sinais de infecção", disse.


Sobre o risco de infecção de outros pacientes, Camylla Carvalho de Melo disse que estão sendo tomadas todas as medidas necessárias. “A transmissão desse fungo se dá por contato. No momento, o paciente que nós temos que está internado está em isolamento e todas as medidas de precaução de contato estão sendo feitas e afastamos essa possibilidade, a transmissão se dá por contato, através do manuseio do paciente”, ressaltou.


Medidas adotadas


De acordo com a SES-PE, a Coordenação Estadual de Prevenção e Controle de Infecção de Pernambuco foi notificada e deu orientações sobre a implementação de um plano de ação para prevenir a disseminação de microrganismos. Também houve capacitação com a equipe multiprofissional do serviço e criado um plano de ação para reforçar as medidas de prevenção e controle.

Estudos apontam que até 90% dos pacientes de Candida auris são resistentes ao fluconazol, anfotericina B ou equinocandinas. Além disso, o fungo pode pode causar infecção de corrente sanguínea e ser fatal, principalmente em imunodeprimidos ou com comorbid

12 visualizações0 comentário