Caso Beatriz: suspeito é preso em Pindobaçu (BA), mas nega envolvimento no crime

Por Anderson Guimarães

Na tarde desta quarta-feira (02) a notícia da prisão do possível assassino de Beatriz Mota, assassinada aos 7 anos com mais de 40 facadas numa escola particular de Perolina, movimentou os grupos de WhatsApp. As informações dão conta de que um homem estaria num hospital em Jacobina-BA e teria fugido após ser comparado com o retrato falado que mostra o rosto do possível assassino. A polícia conseguiu localizar o homem alguns quilômetros depois, numa van, no município de Pindobaçu, também na Bahia. Ao ser questionado sobre o motivo que o levou a fugir, o homem confessou o assassinato da sua esposa, em Fortaleza-CE e negou envolvimento na morte de Beatriz. A redação do Nossa Voz da rádio Boa Vista FM entrou em contato com Sandro Mota, pai de Beatriz, que informou que a quantidade de denúncias aumentou de maneira significativa após o novo retrato falado e aumento da recompensa.

“Nesse caso ele se apavorou, acredito que muitos lá no hospital apontando ele como assassino, ficou com medo e decidiu fugir. Esse novo retrato e o aumento do prêmio com o disque denúncia faz com que vire uma caçada frenética”, disse Sandro. Sandro enfatizou que é importante manter as denúncias, mas que é preciso cautela para não cometer injustiça, destacando ainda que de qualquer forma conseguiu com a delegada de Pindobaçu o material genético para comparar com o material já existente em Petrolina, “precisamos controlar a ansiedade, não podemos cometer injustiça, as denúncias não estão sendo em vão, mas de qualquer forma conseguimos com a delegada que coletasse material genético dele para compararmos em Petrolina”.

136 visualizações0 comentário