CISAPE: prefeitos debatem com Secretaria de Meio Ambiente a erradicação dos lixões no Araripe


O Consórcio Intermunicipal do Araripe (Cisape), discutiu, em uma reunião extraordinária, na segunda-feira (7), a necessidade de erradicação dos lixões na região do Araripe, na apresentação do Assessor Especial da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMAS), Edilson Silva, indicado para tratar sobre o assunto com os gestores no sentido de ajustar a questão de zerar os lixões que ainda existem no estado. Segundo Edilson, há uma iniciativa pela redução dos lixões, através de um arranjo institucional entre governo, órgãos de fiscalização e de controle como o Ministério Público, Tribunal de Contas e a própria CPRH, o estado já está com o gráfico que aponta a diminuição regular no número de lixões no estado. “Pernambuco hoje, talvez seja, o estado com menor percentual de municípios ainda fazendo a destinação incorreta dos seus resíduos sólidos urbanos, em novembro tínhamos 25% e esse número tende a cair, tínhamos pouco mais de 40 municípios em novembro e em início de fevereiro sai o novo mapa da destinação dos resíduos, deve aparecer entre 28 e 30 municípios apenas que fazem a destinação incorreta”, disse ele.


De acordo com o Assessor, Pernambuco ainda tem problemas no sertão de Itaparica, zona da mata, sub norte e agreste, porém, o problema crônico está na região do Araripe. Onde em dezembro apenas três municípios apareciam no mapa fazendo a destinação correta, Santa Filomena, Santa Cruz e Exu, e os demais ainda como distribuição irregular. Há informações de que Granito já viabiliza contrato com o aterro sanitário de Salgueiro para fazer a destinação correta, Bodocó também está viabilizando isso, já Moreilândia, Ouricuri, Araripina, Trindade e Ipubi ainda estão sem uma saída definida, segundo Edilson, um problema a mais no Araripe, é a destinação final.


“Estou em contato com a gestão do aterro em Salgueiro que é o destino menos distante para que estes municípios possam fazer a sua destinação e a gestão do aterro em Salgueiro mostrou que não tem mais condições de absorver os resíduos de nenhum outro município. A gente está tentando encontrar uma solução paliativa para a destinação final. Por conta disso nós queremos debater com os prefeitos o fortalecimento, o empenho no sentido de a gente construir um aterro na região”, comentou.


O prefeito de Ouricuri, Ricardo Ramos, esteve em contato com o secretário de Meio Ambiente, e foi agendada uma reunião em Recife para tentar encontrar soluções. Uma solução mais estrutural para o Araripe, especialmente sobre a construção de um aterro regional, que tenha boa capacidade de absorver a demanda, esse foi o objetivo da conversa.

7 visualizações0 comentário