JOGO POLÍTICO: Em coletiva, Lula fala sobre mercado financeiro e insinua disputa eleitoral

Foto: Ricardo Stuckert



O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva falou à imprensa nesta quinta-feira, 10, dois dias após o ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinar a anulação de todas as decisões tomadas pela 13ª Vara Federal de Curitiba (PR) nas ações penais contra o petista.


Quando questionado sobre a reação negativa do mercado diante da possibilidade de candidatura para as eleições de 2022, Lula disse que o único motivo de preocupação do mercado seria o posicionamento contra a autonomia do Banco Central. “O mercado tem que ter medo porque eu sou contra a autonomia do Banco Central, pois é melhor estar na mão do governo do que do mercado. A quem interessa essa autonomia do Banco Central? Não é ao trabalhador, não é ao presidente da CUT [Central Única dos Trabalhadores] e, sim, ao sistema financeiro”, disse.


Em seguida, Lula citou os oito anos que esteve na Presidência e falou que, se eventualmente fosse novamente eleito para o cargo, iria investir na produção. “O mercado que quer ganhar dinheiro investindo em coisas produtivas tem que gostar de mim. O mercado quer ganhar dinheiro vendo o povo virando consumidor, viajando, comendo bem, vestindo roupa de qualidade, também vai gostar de mim. Por outro lado, se o mercado quiser viver às custas da entrega da soberania nacional, vendendo o patrimônio nacional, não votem em mim. Tenham medo mesmo, porque não vamos privatizar. E quem estiver comprando as coisas da Petrobras, está correndo risco, porque a gente pode mudar muita coisa”, continuou.

Diálogo

Ainda citando o próprio governo, o ex-presidente disse que terá diálogo com investidores e empresários, mas também fez duras críticas ao setor. “Queria ver um dia o mercado dizer sobre esse ‘demônio Lula’ de quem eles puxaram o saco durante tantos anos. Se vocês pegarem manchetes de jornais, não é a primeira vez que falam que o dólar subiu. Sabe por que o dólar sobe? Porque tem muito economista mentindo na televisão para ganhar dinheiro com especulação”, afirmou, criticando também a imprensa.


Em sua resposta, Lula fez questão de separar o que chama de mercado financeiro e “jovens que vivem da especulação para vender ilusões”. “Esses devem se preocupar, pois vamos levar a sério o investimento produtivo e a geração de emprego. Eu espero que o mercado seja sempre contra mim e o povo sempre a favor. Acho que vamos ter maioria para governar esse país. Não sei desse medo do radicalismo Lula, mas eu era chamado de conciliador quando governava”.


Sobre o agronegócio, o ex-presidente disse que havia muito diálogo com o setor. “O agronegócio nunca conversou com o governo 10% do que conversava comigo. Chamava o empresariado para conversar”, afirmou.


Canal Rural

2 visualizações0 comentário