Marília Arraes questiona prioridades do decreto estadual de combate à Covid-19


Nesta quarta-feira, a deputada federal Marília Arraes (PE-PE) questionou o decreto estabelecido pelo governo do estado. O objetivo de Arraes foi chamar atenção para o critério do que é essencial ou não durante a nova quarentena, que começa amanhã (18). “É preciso aprofundar essas discussões e não deixar o povo passar por isso nesse momento difícil.”, ressaltou Marília. Arraes reconheceu a importância de ações sanitárias e medidas mais eficazes, mas questionou algumas das medidas, por exemplo, lojas de carros constam como essenciais, mas igrejas e academias, não. “Que prioridade é essa que a pessoa pode comprar um carro, mas não pode fazer exercício?”, indagou a parlamentar. Marília também questionou se esses critérios realmente funcionam no combate ao coronavírus. Com base nos dados de Recife, sétima cidade brasileira com maior número de mortes pela Covid-19, a parlamentar cobrou uma ação dos gestores. “Onde estão esses investimentos? Há notícias que mostram que nove UPA’s fecharam as portas durante 12 horas por conta de superlotação”, destacou. Pernambuco tem o maior índice de letalidade do vírus no nordeste, 3,6%, maior até do que a média nacional, 2,15%. E mesmo com o índice alto, Recife (cujo índice chega a 4,05%) tem a frota de ônibus reduzida, causando ainda mais aglomerações com os trabalhadores, que não têm a opção de ficar em casa. “A maioria das pessoas da RMR continua andando em ônibus lotado e isso precisa ser pensado”, conclui Marília. Por: Diário de PE

0 visualização0 comentário