MPPE se manifesta sobre PL que tornaria igrejas e academias serviços essenciais em Araripina

Por Cidinha Medrado para o blog do Roberto - confira matéria completa

"Municípios não podem flexibilizar decreto do estado”


Devido a grande procura de evangélico e cristãos, além de profissionais de educação física, a vereadora Kalígia Mateus estava com uma proposta de apresentar na Câmara de Araripina, um Projeto de Lei que visava tornar as igrejas e academias como serviços essenciais durante esse período de crise na saúde.No entanto para garantir legalidade, a parlamentar levou o assunto ao Ministério Público, porque desejava que a aprovação fosse baseada na autonomia da Câmara. Kaligia considera, as igrejas, especialmente um lugar de tratamento interior.


“A atenção dada pelas igrejas, afasta o medo no momento de desespero, traz força espiritual e torna menos difícil a situação que tá acontecendo”, comentou na Rádio Arari FM nessa segunda-feira (15).


Em relação ás atividades físicas, ela disse que observando estudos recentes, entende que a prática do exercício físico está associada à redução da internação hospitalar.

“Eu acho que estas coisas, além da questão do desemprego, são bem válidas. Então eu procurei o Ministério Público para não entrar de cara com o projeto. Mas pra saber como poderia agir e se deve entrar com o projeto ou não, e Dr. Fábio, ficou de me enviar uma resposta para que eu possa conversar com os religiosos e os educadores”, disse ela.

No mesmo dia, o Ministério Público de Pernambuco se manifestou sobre o assunto afirmando que municípios não podem flexibilizar decreto do estado.

0 visualização0 comentário