OURICURI: você sabe o que é a ICTIOSE? Conheça a história de Jéssika Carvalho


A Ictiose é o nome dado a um conjunto de condições que causam alterações na camada mais superficial da pele, a epiderme, deixando-a com pequenos pedaços muito ressecados e com descamação, que faz com que a pele fique com o aspeto de escama de peixe, mas existe tratamento e cuidados que podem amenizar muito a aparência ressecada da pele.

Aos 25 anos, a jovem Jessika Carvalho (Jessy) que mora no interior de Ouricuri (Sertão do Araripe), portadora da Ictiose Lamelar, contou para nossa reportagem como tem lhe dado com a doença e com as expressões de surpresa de algumas pessoas quando a encontram pela primeira vez.


A ictiose lamelar é uma doença genética rara caracterizada por alterações na formação da pele devido a uma mutação, o que aumenta o risco de infecções e de desidratação na pele.

“Desde pequena minha luta era de médico em médico, vários tipos de especialista e tratamentos, fiz tratamento no HC de SP até meus 13 anos. Aí me perguntam como é sua experiência convivendo com Essa condição? -Não é fácil conviver com ictiose devido aos sintomas como também lidar com público, olhares, luto diariamente pela minha melhora e também luto diariamente contra os olhares das pessoas”, contou ela.


Os portadores da ictiose lamelar podem viver normalmente, mas precisam tomar cuidados especiais como evitar sol forte.



“Não é tão fácil auto aceitação, nem sempre tô animada, mas a maturidade que tenho hoje, aos poucos tô tendo mais aceitação. Se Deus permitiu eu ser assim é porque há um propósito, que principalmente na indiferença, as possam ter uma outra visão", disse Jéssika

Para trocar experiências e conhecer pessoas que também passam pela mesma situação, Jéssica criou um perfil no Instagram com nome @Ictiosel, esse perfil tem o intuito de ajudar outras pessoas dando apoio com informações que as ajude referente a ictiose, como também informar o que é e a realidade de quem convive com isso.


“Queremos mostrar como convivemos e mostrar que não é contagioso, queremos também diminuir o preconceito, que sejamos mais reconhecidos e que também possamos conquistar o nosso cantinho no mundo com muito mais informação e conscientização, a partir do momento em que mais pessoas tomem conhecimento do assunto. Também posto algumas coisas no meu perfil pessoal @jessynhacarvalho”, .



Tratamentos: A hidratação da pele é fundamental para o tratamento da ictiose vulgar. Cremes que contêm ureia, lactato de amônia e outros componentes hidratantes são benéficos, principalmente se utilizados ao menos três vezes ao dia. Podem ser utilizados, ainda, compostos tópicos que auxiliem na descamação da pele, como o ácido salicílico. Este tratamento geralmente é suficiente para o controle da doença. O dermatologista é o profissional capacitado para decidir a melhor terapia indicada.

Prevenção: O aparecimento da doença, por ter caráter genético, não pode ser totalmente prevenido. No entanto, as manifestações podem ser controladas. Recomenda-se ao portador da ictiose, evitar comportamentos que aumentem a secura da pele, como banhos demorados e quentes, além do uso excessivo de sabonete. Objetos de limpeza da pele, como escovas, lixas e buchas para banho também devem ser evitados.


"Conheci Jessy há 5 anos e tenho buscado junto com ela divulgar o assunto motivando as pessoas a entenderam casos como o dela, é uma pessoinha linda e perfeitamente normal, ela vive como todas as outras pessoas, apenas precisar tomar alguns cuidados com a pele que bem sensível". Cidinha Medrado


Visite os perfis da Jessy para saber mais

INSTAGRAM: @ictiosel

INSTAGTAM PESSOAL: @jessynhacarvalho

TIK TOK:Jessycarvalho5

Facebook:Jessyy Carvalho Pereira

1,083 visualizações0 comentário