Pernambuco: comerciante constrói o próprio jazigo, põe foto e até aponta data de morte: 'em breve



O cemitério de Vila Mendes, em Limoeiro, no Agreste pernambucano, ganhou uma construção que está dando o que falar. Um comerciante ficou “famoso” no pequeno distrito de pouco mais de 7 mil habitantes ao erguer o próprio jazigo. No espaço reservado para a data do óbito está escrito “em breve”, ao lado de uma foto colorida dele, que ainda está bem vivo

“Não tenho medo de morrer. Estou esperando por ela [a morte]”, declara Cleyton Melo de Souza, em entrevista por telefone ao g1. Aos 36 anos, casado e pai de três filhos de 6, 11 e 18 anos, Cleyton é dono de uma padaria localizada em Mendes, distante seis quilômetros do Centro de Limoeiro. Na localidade, a vida é bem tranquila e o celular nem sempre pega direito. A padaria ele herdou de um cunhado. Bem de saúde e tranquilo quanto aos negócios, ele disse que pensou na obra da própria tumba para “ser homenageado ainda em vida”. “Eu ia ao cemitério para acompanhar enterros e ficava pensando nas pessoas que estavam lá, num cantinho, e ninguém via. Eram homenagens discretas. Aí, fiz a minha tumba para ver as pessoas me homenageando de verdade”, afirmou o comerciante, se divertindo da inusitada construção.

O jazigo de Cleyton custou R$ 3.500, incluindo o “terreno”, material e mão de obra. “Fui lá e falei com administrador, disse que ia fazer e ele deixou”, contou.

12 visualizações0 comentário